Pages

domingo, 1 de agosto de 2010

Os Delírios de Consumo de Becky Bloom - Desafio literário


Tema: Adaptação para o cinema.
Mês: Julho/2010
Título: Os Delírios de Consumo de Becky Bloom
Autor: Sophie Kinsella
Editora: Bestbolso
Nº de páginas: 363

Quando vi esse tópico no desafio literário, pensei em pegar livros como A última música, Querido John, Orgulho e Preconceito, mas na época eu não os tinha comigo, e fiquei com receio de não os ter quando chegasse o momento de ler. Então, optei por dois livros que tinha aqui em casa: Os delírios de consumo de Becky Bloom e Veronika decide morrer.

Vou ser sincera, nenhum dos dois me chamavam muito a atenção. Veronika, por causa de Paulo Coelho; e Becky Bloom, porque eu já tinha visto o filme e imaginava que o livro não ia ter uma leitura muito agradável. Não me entendam mal. Gosto de chick-lit.Ultimamente até que estou lendo MUITO chick-lit, mas um livro de uma mulher que só fazia compras não parecia ser nada legal.

Aí vocês me perguntam: Por que você comprou o livro então?
A resposta é simples: O livro estava em promoção e é uma edição de bolso. (Vocês sabem que eu tenho um lado Becky Bloom) Já Veronika decide morrer, ganhei da Iarla e até hoje não li. (Falta de vergonha na cara) Mas é que como também já disse aqui antes, Paulo Coelho não me desce. Eu ia ler o livro reserva, mas acabou que uma amiga viu aqui em casa e como a terapeuta indicou o livro pra ler, ela pegou emprestado e ainda não devolveu. Por esta razão, “tirei a poeira” de Becky Bloom e comecei a ler.

Como havia previsto, a personagem é MUITO fútil. Aquela mulher é louca!!!! – e eu ainda me comparando a ela. Tudo bem que eu tenho uns ataques consumistas às vezes, mas nada comparado – Becky é muito imatura, não tem responsabilidade nenhuma e sem falar que a pessoa é MUITO cara de pau. Como assim ela joga as contas fora e finge que nada está acontecendo?

No início, não achei nada engraçado. Achei um pouquinho chato até, pois não podia acreditar que uma pessoa pudesse agir daquela forma. - Becky tem uma imaginação fértil demais, sonha demais, é superficial demais - Mas depois, confesso, achei até um pouco divertido.

Só que achei que o final poderia ser diferente, ela poderia ter uma “bela lição”, pois depois de tudo o que aprontou, o milagre ainda aparece na vida dela em forma de um milionário. Agora que a pessoa vai surtar e gastar rios.

Enfim... O livro é leve, gostosinho de ler quando não está fazendo nada e é melhor que o filme – isso, eu posso dizer.


Não sei se lerei a continuação da saga de Becky Bloom. Acho que se um dia for ler, só daqui a muito tempo quando estiver “desintoxicado” de todo esse consumismo. Sem falar que os livros são muito caros. Pela história, acho que não vale muito a pena pagar tanto.



8 comentários:

Lariane disse...

eu gostei tanto q li em uma semana os cincom publicados!

Bella Melo disse...

Sou suspeita para falar da Becky, eu amei o livro, ri horrores com o filme - aqui em casa todo mundo assistiu ao filme, e tô doida para ler a continuação, já li Becky Bloom: delírios de consumo na 5ª avenida.
O começo do livro é um pouco chatinho mesmo, mas depois que a história começa a ficar legal não tem como largar.

O filme é baseado nesse livro e no 2º ( Becky Bloom: delírios de consumo na 5ª avenida).

Nanda ⋆ disse...

HAUSHUAHSUHAUSHUAHUSHUA

Ao menos vc não joga as contas fora
Eu até tenho vontade de ler, mas se for como Pobre não tem sorte, desisto no2

Luana Farias disse...

Eu nunca li esse livro, me irrita essas pessoas futeis.

bjs

Vivi disse...

Muito boas as suas colocações.

Dos Chick-lit, é o que mais aprecio pelo tom surrealista da coisa toda. Digo surrealista porque não vivo na pele de quem sofre de tal doença. Bloom consome e por isso existe. Essa é a verdade! È aí paro e penso que sou eu quem estou tendo uma visão superficial e preconceituosa da história. Porque é claro que a Becky é doente. Essa doença existe e tem nome: Oniomania. E a razão de ela não se emendar está na ausência de tratamento. Que ela precisa de conscientização não se discute.

Assisti o filme e definitivamente não gostei...rs
Beijocas

Kézia Lôbo disse...

Achei bem mas interessante que o filme, o filme mudaram demais.
è um bom livro pra passar o tempo. XD

Nanda disse...

Ah eu gosto muito deste livro, acho Becky muito divertida e morro de rir das trapalhadas dela, mas eu tbm dou um tempo grande entre um e outro senão enjoo é sempre a mesma coisa rs

Tbm não engulo paulo coelho hehe

bjoo

Iarla disse...

Aiai, a pessoa é mesmo sem jeito... esse livro já fez uns dois aniversários... nem digo nada... quanto à Becky, talvez vc fique feliz em saber que apesar dela surtar mto mais no segundo... ela finalmente recebe aquela lição... é tudo q direi...