Pages

quinta-feira, 1 de julho de 2010

Doidas e Santas - Desafio Literário


Tema:Escritora Brasileira
Mês: Junho/2010
Livro: Doidas e Santas
Autora: Martha Medeiros
Editora:L&PM Editores
Nº de páginas: 231

O mês de junho do Desafio Literário, tínhamos que escolher uma escritora brasileira. Confesso que apesar de ter feito o curso de letras, quase não leio muita coisa da literatura nacional, por isso, fiquei um pouco confusa pra escolher o livro desse mês.
Acabei optando pela Martha Medeiros devido a outro livro dela que li, cujo título deu nome ao meu blog. Porém, a pessoa lesada que vos fala não pesquisou pra saber se o livro era um romance, quando peguei e vi que era um livro de crônicas... Desanimei.

Nada contra crônicas. Gosto, mas não pra ler tudo de uma vez só, por isso demorei tanto para ler o livro deste mês. Fui lendo aos pouquinhos...

Mais uma vez Martha Medeiros me encantou com as suas palavras. Parece que ela sabe o que sentimos, o que pensamos. Me identifiquei com muitas de suas crônicas. Mas destaco duas:

Tristeza permitida

"
Tem dias que não estamos pra samba, pra rock, pra hip-hop, e nem pra isso devemos buscar pílulas mágicas para camuflar nossa introspecção, nem aceitar convites para festas em que nada temos para brindar. Que nos deixem quietos, que quietude é armazenamento de força e sabedoria, daqui a pouco a gente volta, a gente sempre volta, anunciando o fim de mais uma dor – até que venha a próxima, normais que somos."

Às vezes a gente não acorda bem, estamos passando por um momento difícil e muitas vezes as pessoas não compreendem isso e tentam fazer de tudo para que possamos ficar numa boa ou acham que a gente tem “obrigação” de ficar bem. Mas queremos apenas viver também esses momentos de tristeza e melancolia.

Doidas e Santas

A crônica que deu nome ao livro também é uma das minhas preferidas.
Quando eu li a primeira fazer dizendo que toda mulher era doida e depois disse que não existe mulher santa, não concordei. Oxente! Eu não sou doida! Sou uma pessoa centrada, uma anjo de ternura...
Brincadeiras a parte... Martha tem razão. Somos sim doidas, se não somos, ficaremos um dia. Eu já me identifiquei ali, tenho mais de três características que ela citou. – fantasiosa, maníaca, dramática exagerada...

Eh... Acho que meu índice de loucura é alto...

"
Toda mulher é doida. Impossível não ser. A gente nasce com um dispositivo interno que nos informa desde cedo que, sem o amor, a vida não vale a pena ser vivida, e dá-lhe usar nosso poder de sedução para encontrar “the big one”, aquele que será inteligente, másculo, se importará com nossos sentimentos e não nos deixará na mão jamais. Uma tarefa que dá pra ocupar uma vida, não é mesmo? Mas além disso temos que ser independentes, bonitas, ter filhos e fingir, às vezes, que somos santas, ajuizadas, responsáveis, e que nunca, mas nunca, pensaremos em jogar tudo pro alto e embarcar num navio pirata comandado pelo Johnny Depp, ou então virar uma cafetina, sei lá, diga ai uma fantasia secreta, sua imaginação deve ser melhor que a minha.
Eu só conheço mulher louca. Pense em qualquer uma que você conhece e diga se ela não tem ao menos três destas qualificações: exagerada, dramática, verborrágica, maníaca, fantasiosa, apaixonada, delirante. Pois então. Também é louca. E fascinante.
Todas as mulheres estão dispostas a abrir a janela, não importa a idade que tenham. Nossa insanidade tem nome: chama-se Vontade de Viver até a Última Gota. Só as cansadas é que se recusam a levantar da cadeira pra ver quem está chamando lá fora. E santa, fica combinado, não existe. Uma mulher que só reze, que tenha desistido dos prazeres da inquietude, que não deseje mais nada? Você vai concordar comigo: só sendo louca de pedra."

O livro tem mais crônicas legais como: 100 coisas, Um lugar para chorar, Do tempo da vergonha, A mulher banana, Tarde demais, nascemos...

Enfim... Gostei muito do livro, mas repito, não é algo pra você ler tudo de vez. São textos pra ir lendo aos poucos refletindo e se divertindo...


5 comentários:

Iarla disse...

Gostei da primeira cronica... achei interessante e realmente me diz mto...

Nanda disse...

Oi Patota,

Este é seu apelido mesmo ou so do blog? rs fiquei curiosa.

Gostei do post, eu já li algumas crônicas dela mas nunca ti um livro todo. Quero ler mas tbm não curto muito livros de contas, enjoa. E quando vc começa a gostar a história já acabou hehe

Adorei seu coment la no blog hoje, obrigada :))

bjoo

Vivi disse...

Também gosto da escritora. Acho que me daria bem lendo esse livro. Boa recomendação!

Beijocas

Rê Fofura disse...

A MM é muuuito inteligente! Babo em várias coisas que já li dela na net. Pena nunca ter lido nenhum livro :/
E sobre A última música, eu tbm desconfiava de como era o rumo que a estória ia tomar.. mas o Nicholas escreve de uma maneira que toca a gente que eu tô adorando e estou perto do final.. *-*
:**

Marcella disse...

Essa mulher é foda *---*