Pages

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

Saudade



“Sentimos saudade de certos momentos da nossa vida e de certos momentos de pessoas que passaram por ela.”
Carlos Drummond de Andrade


Já tem quase um mês que você se foi e eu ainda não acredito que tudo aquilo aconteceu. Não dá pra acreditar, sabe? Não dá pra acreditar que em seis meses aquela doença foi tomando a sua alegria, foi tirando você dá gente e sem pedir autorização te levou pra sempre.
Foi difícil te ver naquele estado, foi difícil te ver em cima de uma cama, foi difícil segurar as lágrimas pra não te deixar triste. Mais difícil ainda é se acostumar a não ter você mais com a gente.
Logo você que sempre fez parte da minha vida, sempre esteve perto em todos os meus momentos... Foi uma mãe, uma avó, uma amiga pra mim.
Dói muito! Dói rever as fotos, lembrar de como éramos apegadas, dói chegar em sua casa e não poder mais dar um grito no meio da rua te chamando e não ver mais você abrindo a porta, sorridente, feliz por eu estar ali.
Eu sei que essa dor vai passar. Já passei por ela antes, sei como é isso, mas ainda não me adaptei. Meu coração ainda chora.
Você foi uma das responsáveis pelo que eu sou hoje. Eu posso nunca ter te dito isso, mas você foi.
Foi você que me ensinou a acreditar em Deus, era você que me levava na igreja e insistiu para que eu fizesse a 1ª comunhão, me levava para as procissões, me ensinava todos os cânticos da igreja, pois a sua fé em Deus e a sua devoção por Nossa Senhora era inabalável.
Era você que me levava para as festas, me fantasiava de palhacinha e apesar dos seus mais de 50 anos ia atrás do trio elétrico comigo e me levava para brincar o carnaval.
Era com você que eu viajava, era você que torcia por mim, era você que nunca sabia dizer não pra ninguém...
É por você que hoje novamente derramo lágrimas...
Sinto tanto não ter estado mais perto nestes últimos dois anos, sinto tanto por deixar o trabalho se tornar tão importante ao ponto de não poder te visitar mais vezes, sinto tanto por seus netos não te conhecerem como eu conheci, sinto tanto por não te dizer um último adeus, mas eu não conseguiria.
Não conseguiria porque simplesmente você sempre será a minha Jú... Aquela senhora gordinha e sorridente que tinha um coração enorme e muito amor pra dar.

1 comentários:

natbarros disse...

Dói, machuca e a saudade não pede pra fazer parte da nossa vida!
Tenho certeza que o tempo irá amenizar essa ausência, embora nunca irá suprir essa falta!

Belas palavras. puro sentimento. pura saudade. Puro amor.

Beijos